segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

68. "Esperança" é a coisa com penas




"Esperança" é a coisa com penas
Que se empoleira na alma
E canta um som sem palavras
E nunca, mas nunca, pára,

E mais doce é ouvido no vendaval;
E dura precisa ser a tempestade
Que poderia desanimar o passarinho
Que mantém aquecidos a tantos.

Já o ouvi nas terras mais geladas
E nos mares mais estranhos,
Entretanto nunca, mesmo no desespero,
Ele pediu uma migalha a Mim.


Emily Dickinson
Tradução de Luiz Felipe Coelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário