sexta-feira, 8 de junho de 2018

Encuentros - Muestra Mercosur




Tantos encontros! O encontro terno do olhar da minha filha com a minha arte, os múltiplos encontros com tantos e tão bons artistas, o encontro da alma com uma satisfação que nem sei nomear...
Agradeço a todos os envolvidos, especialmente a Horacio Guimaraens, curador da mostra que soube promover encontros, ao artista e amigo Julio Cesar Alvarez Sosa que tanto me ensina sem perceber, aos parceiros de trabalhos e sonhos da Funcespp Eder Rubens da Silva e Celma Geminiano Pelush,  e a Jamile Fakir  um amor maior que eu a eternizar em imagens nossos melhores momentos.












sábado, 24 de março de 2018

Resultado do concurso QUE HORAS SÃO NO RELÓGIO DE PALLAS ATENAS?


O Conselho Municipal de Cultura acaba de anunciar o resultado do concurso "Que horas são no relógio de Pallas Atenas? "
As ganhadoras das ilustrações dessa postagem são:
Daniela Centurion Freita
Tchaila R. S. Tomascheski
Juliani L. C. Ferreira
Em breve nos reuniremos para a entrega das obras.
Agradeço todos que voltaram seus olhares para Pallas Atenas e teceram reflexões sobre seu/nosso tempo, a UFMS na pessoa da nossa diretora Cláudia Carreira e demais envolvidos no sonho e execução dessa obra e ao Conselho Municipal de Cultura que se dedicou a avaliação das respostas dadas. Coração fica cheio de alegria e gratidão, abastecido pra sonhar e realizar novos projetos, que 'a arte existe por que a vida não basta' 





segunda-feira, 19 de março de 2018

314 - Vitória do Jacaré

Ilustração para o conto Vitória do jacaré, um dos contos do livro de autoria infantojuvenil dos alunos da Epmr Osvaldo de Almeida Mattos. Mais curioso de tudo é saber que um dos relatos que inspirou a narrativa das crianças é o relato da Raquel, amiga bióloga que passou a infância no Pantanal e me contou que pescava nos Corixos com Jacarés a nadar por entre seus pés. Recontei sua história aos alunos que criaram uma personagem feito ela, menina que não tem medo de jacaré. 

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

309 - Autorretrato à porta



Aqui


Aqui, deposta enfim a minha imagem,
Tudo o que é jogo e tudo o que é passagem,
No interior das coisas canto nua.

Aqui livre sou eu — eco da lua
E dos jardins, os gestos recebidos
E o tumulto dos gestos pressentidos,
Aqui sou eu em tudo quanto amei.

Não por aquilo que só atravessei,
Não pelo meu rumor que só perdi,
Não pelos incertos actos que vivi,

Mas por tudo de quanto ressoei
E em cujo amor de amor me eternizei.

Sophia de Mello Breyner Andresen